Petrobras: Requião surta, ignora a roubalheira na estatal e faz o jogo sujo do governo do PT

Na tarde desta quarta-feira (24), durante discussão sobre o projeto que reduz a participação mínima e as responsabilidades da Petrobras na exploração do pré-sal, projeto de autoria de José Serra (PSDB-SP), ocupou a tribuna do Senado Federal o também senador Roberto Requião (PMDB-PR) para blasfemar contra o tema.

Gazeteiro profissional e sempre acenando na direção do Palácio do Planalto, Requião disse que o projeto entrega o patrimônio nacional às petrolíferas estrangeiras, como se a Petrobras não tivesse sido dilapidada pelo PT com o funcionamento do maior esquema de corrupção da História, o Petrolão.

Conhecido por invocar com frequência a Carta de Puebla (de preferência aos pobres), o senador peemedebista foi mais longe em seu estabanado discurso e afirmou que a culpa pelo baixo preço do petróleo no mercado internacional é dos Estados Unidos, que se uniram à Arábia Saudita para derrubar as cotações do produto.

Acostumado a abusar do ar professoral, como se fosse um herdeiro qualquer de Aladim, o gênio da lâmpada, Requião, que nas plagas paranaenses é conhecido como “Maria Louca”, disse que o alto grau de endividamento da Petrobras se deve à valorização do dólar.

A grande questão que a incompetência de Requião não lhe permite enxergar é que a alta do dólar é fruto da política econômica desastrada que o governo do PT adotou nos últimos treze anos, arruinando a economia nacional e levando não apenas a Petrobras, mas muitas empresas, às agruras.

“A presidente Dilma já se manifestou, como era de se esperar, contra essa proposta do José Serra, porque ela não tem sentido. Não tem sentido porque não existe uma empresa de petróleo no mundo que não esteja fragilizada. O prejuízo de todas elas é enorme, maior do que o da Petrobras, e maior do que o da Petrobras, porque a Petrobras tem a maior reserva de petróleo do mundo no pré-sal, um petróleo de extração fácil – US$8,00 ou US$9,00 o barril –, um petróleo que está garantindo lucros, mesmo na crise”, disse Requião, o doutor sabe tudo.

No dia em que a extração de petróleo do pré-sal custar US$ 9 por barril, os países integrantes da OPEP quebram em questão de horas. A extração do petróleo do pré-sal, segundo geólogos da Petrobras que conversaram com o editor do UCHO.INFO, só é viável comercialmente se o preço do barril estiver sendo comercializado a US$ 60 ou mais no mercado internacional. Requião pode querer posar de “Professor Pardal”, até porque há quem creia em seu besteirol, mas extrair petróleo na camada do pré-sal é uma operação complexa, de risco e muito cara. Somente um ignaro como o senador paranaense é capaz de desfiar tantas inverdades.

A tese obtusa que Requião defende, a pedido do governo bandoleiro do PT, passa obrigatoriamente pelo setor petroquímico, onde o grupo Odebrecht, investigado em várias frentes na Operação Lava-Jato, mantém um quase monopólio por obra do lobista-palestrante Lula. O produto mais nobre e mais cobiçado do petróleo é a nafta, matéria-prima do setor petroquímico.

Em relação à situação financeira da Petrobras, que se agrava com o passar dos dias, a estatal já foi uma das empresas internacionais mais valiosas, mas atualmente, por conta da incompetência do governo petista e da roubalheira absurda em que se transformou o Petrolão, é a de maior endividamento em todo o planeta.

Em meados de 2006, quando Lula ensaiava os primeiros passos de sua campanha à reeleição, o então presidente da República concordou com a mentira criada pelos “companheiros”, de que uma vitória do PSDB nas urnas significaria a imediata privatização da Petrobras. Diante da extensão do escândalo de corrupção que derreteu a empresa, melhor seria privatizá-la.

A Petrobras sofreu ao longo desses anos porque o projeto do PT era continuar sangrando os cofres da empresa, ao mesmo tempo em que se empenhou para aprovar o projeto de lei que veta o financiamento de campanhas eleitorais por pessoas jurídicas. Caso o Petrolão não tivesse sido descoberto – o editor do UCHO.INFO denunciou o esquema criminoso em 2005 e depois em 2009 – o PT continuaria avançando em seu projeto de poder, pois apenas o partido e seus aliados obedientes teriam recursos para custear campanhas milionárias e cinematográficas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *