Movimento Popular Nossa Curitiba defende gestão de seriedade e compromisso social; Rafael Greca denunciado por aposentadoria imoral

nossa curitiba
Nesta sábado (20), ativistas sociais e frequentadores da Boca Maldita dão o ponta pé inicial na hospedagem do debate eleitoral no reduto tradicional da política curitibana.

Na oportunidade será dado posse ao presidente do Movimento Popular Nossa Curitiba, líder comunitário Abreu Bazuca que terá como secretário executivo, o ex-vereador Doático Santos. Esta articulação já tem definidos alguns conceitos que nortearão sua participação na temporada eleitoral deste ano. As lideranças do Nossa Curitiba veem com simpatia e torcem pela reeleição do Prefeito Gustavo Fruet. Para eles a atual gestão se apresenta como a melhor proposta urbana, além de passar à população uma de seriedade e compromisso social.

Por outro lado, o movimento já definiu como inimigo da cidade o candidato Rafael Greca. Segundo Abreu Bazuca, o ex-prefeito antes de pedir votos precisa abrir mão da aposentadoria imoral como funcionário do IPPUC, Instituto de Pesquisa e Planejamento de Curitiba. Greca mesmo tendo trabalhado pouquíssimos dias naquela autarquia, desde abril/2016, amealha R$ 12.560,00 de aposentadoria. Vamos distribuir um milhão de panfletos mostrando aos moradores de nossa capital essa imoralidade, concluiu Bazuca. Para organizar a panfletagem, o Movimento Popular Nossa Curitiba, organizou o Comitê Voto Consciente. A seguir íntegra da denúncia:

Aposentadoria imoral de Rafael Greca
Conheça, repudie e divulgue

Reclamação coletiva ao Ministério Público pede cancelamento de benefício conseguido pelo ex-prefeito, no IPPUC – Instituto de Pesquisa e Planejamento de Curitiba, onde o falastrão trabalhou, pasmem: menos de 04 meses e não mais de 100 dias. Rafael Greca foi aprovado em concurso naquela autarquia, no ano de 1983. Tomou posse no cargo e já no dia seguinte licenciou-se para exercer o mandato de vereador da capital.

E foi assim, o político continuou renovando a licença para cada mandato que cumpria. Ex-vereador, ex-deputado estadual, ex-deputado federal, ex-prefeito de Curitiba, ex-ministro e ex-funcionário do Senado Federal. Tudo aparentemente normal, não fora neste início de ano (2016), o “interesseiro” utilizar esses períodos em que passou fazendo política para contar tempo de aposentadoria no IPPUC.

Aproveitando-se de brechas legais, restou aposentado naquele instituto municipal, onde recebe desde abril/16, a polpuda quantia de R$ 12.560, 00. Na prática, nos últimos 32 anos, Greca trabalhou regularmente, menos de 04 meses e não mais que 100 dias. Absoluta e incontestável IMORALIDADE!

Nessa voracidade com que amealha dinheiro público para prover seus questionáveis direitos, demonstra total falta de zelo com o orçamento que deve servir a comunidade em geral.

Corrente Voto Consciente

Tire cópias e passe adiante

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *