Lula esperneia, ataca Justiça e mídia e diz que merece respeito; Lava Jato vê indícios de que o petista é ‘beneficiário de delitos’

A Lava-Jato investiga a origem de R$ 30,7 milhões pagos pelas cinco maiores empreiteiras envolvidas nas fraudes da Petrobras ao Instituto Lula e à LILS Palestras, empresa do ex-presidente Lula. Camargo Correa, OAS, Odebrecht, Andrade Gutierrez e Queiroz Galvão doaram R$ 20,7 milhões ao Instituto e pagaram R$ 9,920 milhões por palestras entre 2011 e 2014.

“De fato, surgiram evidências de que os crimes o enriqueceram e financiaram campanhas eleitorais e o caixa de sua agremiação política (PT). Mais recentemente, ainda, surgiram, na investigação, referências ao nome do ex-presidente Lula como pessoa cuja a atuação foi relevante para o sucesso da atividade criminosa”, diz a força-tarefa. Lula prestou depoimento no escritório da Polícia Federal no aeroporto de Congonhas.

ALEXANDRA MARTINS, PEDRO VENCESLAU E RICARDO GALHARDO – O ESTADO DE S. PAULO

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira, 4, que a condução coercitiva à qual foi submetido nesta manhã pela Polícia Federal foi “o que precisava acontecer para o PT levantar a cabeça”, embora tenha dito estar “magoado e ofendido” com a medida, que considerou fruto de “prepotência” dos investigadores da Operação Lava Jato. O petista também fez uma série de críticas à imprensa e a veículos de comunicação e disse merecer “respeito” como ex-presidente. Lula acrescentou que, com a condução coercitiva da Operação Aletheia, tentaram “matar a jararaca, mas não acertaram na cabeça, acertaram no rabo”.

“Eu fiquei magoado, ofendido, me senti ultrajado, mas isso era o que precisava acontecer para o PT levantar a cabeça. Todo santo dia alguém faz o partido sangrar. A partir da semana que vem, quem quiser discurso do Lula, é só pagar a passagem de avião. Não sei se serei candidato em 2018, mas essas coisas aumentam a tesão da gente. Tentaram matar a jararaca, mas não acertaram na cabeça, acertaram no rabo. A jararaca está viva”, disse Lula em entrevista coletiva concedida na sede PT, em São Paulo.

No discurso, transmitido por sites aliados do PT, o ex-presidente criticou a imprensa pelo que considera um “espetáculo midiático” e disse que “hoje quem condena as pessoas são as manchetes”. “A minha indignação é pelo fato de 6 horas da manhã terem chegado na minha casa, vários delegados, aliás, muito gentis, não sei se são sempre assim, mas muito gentis, pedindo desculpas, que estavam cumprindo uma decisão judicial e a decisão era do juiz Moro”, declarou Lula, rodeado de parlamentares, dirigentes e militantes do PT e de movimentos sociais. O ex-presidente também pediu desculpas à mulher, Marisa Letícia, que não foi alvo de mandado de condução coercitiva, à família e aos amigos e assessores que foram envolvidos na operação desta sexta. “Virou uma coisa perigosa hoje ser amigo do Lula”, ironizou.

O petista citou o juiz federal Sérgio Moro, que conduz a Lava Jato na primeira instância e autorizou a condução coercitiva de Lula. “O Moro não precisava ter mandado uma coerção na minha casa de manhã, na casa do Delcídio, do Paulo Okamoto, não precisava. Era só ter convidado. Eu iria em Curitiba, iria a Brasília, era só ter chamado.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *