Eleitoralmente, Beto Richa e seu grupo seguem imbatíveis, diz Gazeta do Povo

richa_codesul
Tá no Blog Caixa Zero de Rogério Galindo

Recapitulando: em 2004, Richa era um mero vice-prefeito que tinha perdido uma eleição para o governo. Num lance teatral, baixou a tarifa do ônibus e virou prefeito de Curitiba.

A primeira eleição foi apertadíssima. Quatro anos depois, tinha montado sua máquina invencível: derrotou o mesmo PT com 77% dos votos válidos. E virou referência eleitoral no estado. Em 2010, engoliu uma coligação de gigantes, com Osmar Dias e Roberto Requião. Apertado, virou governador. Fez uma gestão desastrada, afundou a economia, não teve controle sobre a política. Em 2014, porém, para surpresa geral, ganhou com mais facilidade que na primeira vez.

Em um único erro de cálculo, em 2012, confiando demais no taco, acho que podia eleger Ducci prefeito. Agora, porém, aprendida a lição, foi mais humilde. Apoiou um candidato viável.  Achava-se que o 29 de abril, o ajuste fiscal duríssimo e outros problemas inúmeráveis do governo tivessem matado seu grupo. Richa, porém, sobreviveu. Escondido, sem se dar o luxo sequer de aparecer ao lado do candidato, mostrou que mesmo nas sombras consegue montar uma articulação vencedora. E provou que sua máquina continua difícil de bater em Curitiba e no estado.

Richa lidera Governadores do Codesul pela criação de corredores de infraestrutura

Os governadores dos Estados que compõem o Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul) querem incentivar a formação de grandes corredores rodoviários entre Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul. A ideia é ligar os quatro estados, formando um corredor de rodovias federais para melhorar o transporte e o escoamento de produção na região.

Em reunião nesta nesta segunda-feira (31) no Palácio Iguaçu, em Curitiba, o governador Beto Richa, que preside o Codesul, e os governadores Raimundo Colombo (SC) e José Ivo Sartori (RS) anunciaram que a intenção é identificar esses principais corredores rodoviários e ferroviários e detectar quais os pontos (regiões) necessitam de investimentos federais na infraestrutura.

“Esse encontro foi importante para afinarmos o discurso e nos unir em torno de mudanças que protejam o interesse dos Estados”, disse Richa. “O foco é a ampliação do porcentual de investimentos em infraestrutura no orçamento federal. Com aumento de investimentos em infraestrutura vamos ajudar não só o Sul, mas o País, a encontrar o caminho de desenvolvimento e de geração de empregos”, afirmou.

A ideia é reunir a informação de cada Estado e criar um caderno com cronograma de ações e valores para ser entregue pelos governadores em Brasília. Alguns exemplos de possíveis corredores rodoviários que fazem parte da proposta são: BR-163, BR-158, BR-153, BR-101, BR-280.

“Nos interessa especialmente a ligação com Santa Catarina e nos interessa atender a população do Sul do Rio Grande do Sul. A produção agrícola representa metade do PIB do Estado. Os corredores nacionais e regionais vão trazer ganhos muito grandes no futuro”, disse o governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori.

De acordo com o secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, José Richa Filho, é possível unir esforços em torno de corredores que são interessantes para os quatro Estados. “É o caso da BR-163 que entra pelo Mato Grosso do Sul e avança pelo Paraná, Santa Catarina e vai até um pedaço do Rio Grande do Sul. É possível unir mais de uma rodovia, como a BR-487, a Boiadeira, descer pela PR- 158 , no centro do Estado, e voltar até a 163 que vai até o final do Rio Grande do Sul. Esse é um dos corredores possíveis”, explicou.

ZICOSUR -Durante a reunião do Codesul também foi assinado um termo de cooperação com a Zona de Integração do Centro-Oeste da América do Sul (Zicosur), com objetivo de criar uma política de cooperação entre os dois blocos na área de infraestrutura.

O termo de compromisso foi assinado pelo governador do Paraná e presidente do Codesul, Beto Richa, e o presidente da Zicosur, Valentín Volta Valencia. A Zicosur é uma associação que reúne 43 governos locais de seis países: um estado do Brasil (Mato Grosso do Sul), 17 do Paraguai, oito da Bolívia, quatro do Peru e quatro do Chile e nove da Argentina. A região reúne uma população de cerca de 30 milhões de habitantes em uma área de 3,6 milhões de quilômetros quadrados.

O termo assinado hoje estabelece a criação de uma comissão conjunta de infraestrutura, com igual número de representantes, com objetivo de elaborar diagnósticos e soluções para a área. A coordenação e a relatoria da comissão serão exercidas em sistema de rodízio anual.

PARCERIA BRDE – Richa Filho também anunciou o lançamento oficial do programa de financiamento Modelagem de Informação da Construção, em parceria com o BRDE, para compra de equipamentos e sistemas de informática por empresas de engenharia e arquitetura da região sul que pretendam implantar a ferramenta BIM em seus processos de trabalho.

O BIM ((Building Information Modeling) é uma ferramenta propicia melhorias na qualidade dos projetos, que deixam de ser apenas desenhados e passam a ser modelados em 3D com informações sobre as características da atividade, custos de materiais e mão de obra.

O sistema facilita a detecção de inconsistências, estimula o trabalho colaborativo entre os projetistas das diversas disciplinas, como divisões dos pavimentos, projetos hidráulicos e elétricos, por exemplo. A tecnologia BIM também melhora a precisão dos custos com a obra e reduz a possibilidade de desvios de conduta.

POLÍTICAS PÚBLICAS – No encontro do Codesul também foi anunciado que o Paraná sediará, em junho de 2017, durante três dias, o I Seminário Codesul de Políticas Públicas para Mulheres: a Mulher no Século XXI.

Serão enfatizadas as questões de fronteira (evasão de mulheres para atuação em outros países em função das leis menos rígidas). Os quatro eixos temáticos do seminário, promovido pela Secretaria da Família e Desenvolvimento Social do Paraná serão: Impacto da Participação das Mulheres nas Políticas Públicas (Santa Catarina);Empoderamento e Empreendedorismo Feminino (Mato Grosso do Sul); Intersetorialidade entre as Políticas Públicas (Rio Grande do Sul); Enfrentamento à Violência contra a Mulher (Paraná).

PRESENÇAS: Participaram da reunião os secretários estaduais da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa; da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara; do Planejamento e Coordenação Geral, Cyllêneo Pessoa Pereira Junior; da Cultura, João Luiz Fiani; da Segurança, Wagner Oliveira, e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes; o presidente do BRDE, Odacir Klein; o secretário executivo do Codesul, Antonio Bettega; o diretor administrativo do BRDE, Orlando Pessuti; o superintendente do BRDE, Paulo Starke Júnior; e o deputado e ex-governador de Santa Catarina, Leonel Pavan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *