Aposentadoria imoral de Greca será ‘grande tema’ da campanha eleitoral

greca_16de8
No próximo sábado (20), a Boca Maldita amplifica o tom do seu tradicional espaço democrático para debater as eleições deste ano. Na escolha do principal tema do pleito, será confirmado a aposentadoria imoral de Rafael Greca.

O político trabalhou no IPPUC – Instituto de Pesquisa e Planejamento de Curitiba, órgão pelo qual se aposentou, pasmem: tendo trabalhado menos de 01 mês em trinta anos. Sim, tendo trabalhado menos de 01 mês em trinta anos. No entanto, recebe como aposentado naquela entidade pública municipal, mais de R$ 12 mil mensais. Pelo que amealha de forma ilegítima e imoral, o ex-ministro, ex-prefeito, ex-deputado federal, ex-deputado estadual e ex-vereador; demonstra a falta de zelo com a coisa pública.

Tá no blog do Cicero Cattani

Volta de Greca ao trabalho e devolução do dinheiro

A aposentadoria de R$ 12 mil que Rafael Greca recebe da prefeitura de Curitiba corre o risco de ser cassada pela Justiça. Além de ter de voltar a dar expediente no Ippuc, ele poderá ser obrigado a devolver salários correspondentes a dois anos, com juros e correção monetária. De 2011 a 2012, o ex-prefeito de Curitiba ficou cedido ao Senado Federal , em Brasília,por pedido de seu presidente Renan Calheiros, embora o Senado não confirme a existência de fichas de frequência dele ao trabalho.

Nestes dois anos em que supostamente” assessorou” o Senado, foi a prefeitura de Curitiba que pagou seus salários graças a um decreto assinado pelo então prefeito Luciano Ducci, que transgrediu a legislação que só permite a disposição de servidores municipais para outros entes públicos desde que sem ônus para o município ou mediante ressarcimento. Ducci ignorou a lei e justificou assim o pagamento de salários a Greca : ” O excepcional interesse público do Município de Curitiba está PRESUMIDO em decorrência das funções notoriamente exercidas no âmbito do Senado Federal.”

Que serviços Greca teria prestado a Curitiba neste período?”, indaga o secretário municipal de Governo, advogado Ricardo Mac Donald Ghisi, que, como cidadão, se prepara para ingressar na Justiça com uma ação popular visando a responsabilizar Ducci e, principalmente, cassar a aposentadoria de Rafael e obter a devolução dos valores pagos ilegalmente. Mac Donald argumenta que esses dois anos de afastamento não poderiam ter sido contados para efeito da aposentadoria precoce de Rafael.

Como funcionário do IPPUC foram pouquíssimos dias trabalhados desde que deixou de ser prefeito no século passado. ” Se depois de quase 25 anos diz que quer trabalhar pela cidade porque não trabalhou como funcionário a esta mesma Cidade que agora lhe paga aposentadoria.”

Tá no blog da Roseli Abrão

Greca pode perder aposentadoria

O candidato do PMN à Prefeitura de Curitiba, Rafael Greca, pode perder a aposentadoria (R$ 12 mil) que recebe do município. Uma ação popular pedindo a cassação da aposentadoria está sendo protocolada na Justiça pelo secretário municipal de Governo, Ricardo Mac Donald Ghisi e, se for aceita, Greca poderá ter que voltar a dar expediente no Ippuc e também devolver os salários correspondentes a dois anos, quando foi cedido ao Senado (2011 e 2012), com juros e correção monetária.

A ação não visa somente apenas Greca, mas também o ex-prefeito Luciano Ducci, que hoje o apoia, por tê-lo liberado. Ducci, segundo Mac Donald, “transgrediu a legislação que só permite a disposição de funcionários municipais para outros entes públicos desde que sem ônus para o município. Não foi o que aconteceu com Greca. Ducci ignorou a lei – denuncia – pagando os salários a Greca.

— Como funcionário do Ippuc foram pouquíssimos dias trabalhados desde que deixou de ser prefeito no século passado. Se depois de quase 25 anos diz que quer trabalhar pela cidade por que não trabalhou como funcionário a esta mesma cidade que agora lhe paga aposentadoria? questiona.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *