Ação Popular pede cancelamento da aposentadoria imoral de Rafael Greca no IPPUC, onde o falastrão trabalhou, tão somente “01 dia”, em 32 anos

Ex-prefeito também é acusado de ter sido por 05 anos funcionário fantasma do senador Roberto Requião. Sim, ele ganha o salário de aposentado que muito trabalhador sonha receber. São R$ 14.350,00 que o ex-prefeito Rafael Greca embolsa todo final de mês, pagos pelo IPPUC, Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba e, pasmem, tendo ao longo de 32 anos, trabalhado um único dia naquela instituição.

Num programa de rádio, na última semana, ao ser questionado sobre essa questão, Greca diz que usou na contagem de tempo para a aposentadoria, os períodos em esteve licenciado exercendo cargos eletivos. Essa imoralidade é objeto de uma ação popular coletiva, a ser impetrada pela Frente Ampla da Cidadania, atendendo pedido da associação de servidores do IPPUC. Num momento em que a gente vê governantes reclamando mais recursos para a previdência, nos deparamos com esse verdadeiro achaque do dinheiro público, disse Doático Santos, membro da coordenação da Frente Ampla.

Mas, essa voracidade do ex-prefeito em amealhar salário e renda, não se resume à aposentadoria do órgão municipal. Também, já foi objeto de outro denúncia, Naquela oportunidade, sob a acusação de que Greca, nomeado para ser funcionário de gabinete de Requião, não comparecia para trabalhar, nem no escritório do senador em Curitiba, e muito menos, no gabinete em Brasília.

Para relembrar:
Rafael Gasparzinho Greca
Entrevistado pela jornalista Joice Hasselmann, da BandFm, de Curitiba, o pré-candidato a prefeitura de Curitiba Rafael Greca disse que voltou ao Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbana de Curitiba, onde é funcionário. Porém o cara não vai lá porque estaria a disposição do gabinete do senador aposentado Roberto Requião. Durante a entrevista ele reconheceu que não sabe o que, quando, onde, como e por que está lotado no gabinete do Senador. Lá não vai e nem é solicitado. Logo, dizem os maledicentes, tornou-se um funcionário fantasma do Senado.

Com Fábio Campana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *